SÍNDROME DO PÂNICO - tratamento e cura

Obsessão Espiritual



No número dos escolhos que apresenta a prática do espiritismo, é preciso colocar, em primeira linha, a obsessão, quer dizer o império que alguns espíritos sabem tomar sobre certas pessoas. Ela não ocorre senão pelos espíritos inferiores que procuram dominar; os bons espíritos não impõem nenhum constrangimento; eles aconselham, combatem a influência dos maus, e se não os escutam se retiram. Os maus, ao contrário, se agarram àqueles sobre os quais fazem suas presas; se chegam a imperar sobre alguém, se identificam com seu próprio espírito e o conduzem como uma verdadeira criança.” Livro dos Médiuns cap. XXIII – Allan Kardec

Escrito há mais de 150 anos atrás, o Livro dos Médiuns descreveu a obsessão espiritual. A influência que um espírito pode exercer sobre outro, prejudicando e desequilibrando sua saúde física, psicológica e espiritual só acontece a partir de uma sintonia que se cria entre ambos, conectando-os energeticamente.

As obsessões são como um processo de vampirização.

O espírito obsessor vampiriza sua vítima, retira-lhe as energias, enfraquecendo e desequilibrando o obsediado.

É importante saber que nenhum processo obsessivo ocorre sem que haja um campo aberto por parte do obsediado desavisado.

O obsessor pode ser um espírito desencarnado ou encarnado, com uma ideia fixa, uma perseguição insistente por outra pessoa, seja por paixão ou por ódio.

Os ataques obsessivos podem ser atenuados e evitados através do “Orai e Vigiai”, compreendendo nessa frase seu verdadeiro sentido.

 Somos energia vibrando e estamos conectados energeticamente uns aos outros. Trocamos, captamos e distribuímos energia. Podemos ser sugados energeticamente, podemos sugar a energia alheia.

Sai Fora Capeta!

Nenhum obsessor será convencido de se afastar de sua vitima pelo grito. A força que se impõe ao obsessor, não é física, é energética e espiritual. A força do amor e da luz que predomina sobre as sombras. Para o obsessor quanto mais histeria melhor.

Entendendo a obsessão através do Budismo

O Budismo ensina que a causa de todo sofrimento vem do desejo. Apego pelo objeto de desejo e aversão pelo que não se quer. Querer ter e não compreender a impermanência de todas as coisas, causam sofrimento.

A prevalência do ego sobre o espírito de união e compaixão gera os transtornos obsessivos.

Vampiros energéticos

O obsessor sempre será também um vampiro energético, assim como todo vampiro energético também é um obsessor.

Alguém que se senta ao lado de outra pessoa e não para de falar de si mesma, é um exemplo simples de vampirismo energético. É um tipo de obsessão fácil de reconhecer, normalmente temporária, findando com o término do monólogo. Quando a pessoa se afasta, a outra sente um grande alívio e ao mesmo tempo, sente-se cansada e sem energia.

O obsessor é sempre um egoísta que tem um desejo insatisfeito e que escolhe um alvo para atacar, seja ele o fruto de seu desejo ou não. Um excesso de apego move o obsessor que escolhe sua vitima para se vingar, por ódio ou paixão.

O obsessor nem sempre é consciente do prejuízo acarretado.  Ele pode estar junto do obsediado achando que pode ajudá-lo estando por perto, por não ter o entendimento da espiritualidade e não se conformar com o afastamento temporário que a morte física causou em sua relação com o ser amado.

Por isso, não concordo em chamá-los de maus espíritos,  em muitos casos a ignorância seria um termo melhor empregado para defini-los.

Alguns espíritos quando desencarnam e não aceitam sua condição podem se tornar obsessores dos familiares que continuam encarnados; principalmente quando o encarnado sem conhecimento espiritual, não ora por aquele que se foi e o chama com tristeza e sofrimento.

A grande maioria das obsessões simples acontece porque o espírito desencarnado continua extremamente ligado as coisas da matéria e para se manter próximo do mundo físico, aproxima-se de pessoas que possam lhe proporcionar os prazeres que usufruía quando encarnado. Normalmente esses prazeres estão relacionados com os vícios de toda ordem. As drogas, os excessos da gula, sexo, maledicência, ganância, desejo de poder  e tantos outros pensamentos, sentimentos e atitudes desajustados.

Existem as falanges do Umbral que buscam sedentas os gozos terrenos e se aproveitam dos encarnados fragilizados, desequilibrados, que deixam suas portas abertas aos obsessores.

Que fique claro que as obsessões não ocorrem apenas do lado de lá para o lado de cá, mas também entre os encarnados, entre os desencarnados e dos encarnados para os desencarnados.

Estamos todos ligados uns aos outros e precisamos compreender a importância de fazer prevalecer a energia benéfica que brota do amor incondicional do eu superior, da consciência divina e iluminada que há em nós.

O Buda que nos habita emana a luz e dissipa as sombras. Somos cocriadores e responsáveis pela transformação do planeta a partir de nossa transformação pessoal.

Se quer evitar as obsesões seja no papel de obsediado ou de obsessor, busque o autoconhecimento e a iluminação. Primeiro aceitando e acolhendo suas imperfeições, olhando e compreendendo amorosamente sua sombra.
Tomar consciência de si mesmo através da expansão da consciência, se perdoando, se amando e compreendendo que a escolha é sempre sua.

Salve!

Nadya Prem


Comentários