Praticando a Gratidão



Como é bom se sentir grato! É um sentimento que dissolve os miasmas, as formas-pensamento, desfaz os nós , melhora o fluxo respiratório, faz o coração bater numa cadência suave. A leveza que o sentimento de gratidão oferece é incomparável. Faz fluir em nosso ser o amor incondicional por tudo, por todas as criações Divinas.
A gratidão nos faz entrar em contato com o milagre da vida e torna claro o porquê de estarmos aqui e agora. Passamos a compreender os sofrimentos como bênçãos que nos impulsionam ao crescimento espiritual.
Apoiados pela lei da causa e efeito, entendemos que o sofrimento, a doença e a dor, são respostas da vida para as nossas questões mal resolvidas.
Sim, é como se perguntássemos a Deus: O que fazer para ser feliz? Como resolver este vazio existencial? Como aprender a me amar e me relacionar com o próximo?
Recebemos na experiência diária todas as respostas para as nossas “pendências” com o compromisso espiritual de sermos plenos.
Gratidão é aceitação e despertar da consciência.


Eckhart Tolle nos fala sobre os pensamentos, como nos apegamos ao pensar e adquirimos um ego.

(...)Não existe pensamento sem ego. A identificação com os pensamentos é o ego. Mas, os pensamentos que passam por sua cabeça, estão, é claro, ligados a mente coletiva, da cultura em que você vive, da comunidade como um todo. Então, eles não são propriamente seus pensamentos , você os capta do coletivo e se identifica com ele(...)

Quando ouvimos de nossos pais que não somos bons o suficiente e acreditamos nisso, incorporamos essa crença, esse pensamento se fixa em nós como uma forma viva em nosso corpo mental e passamos a focar apenas naquelas coisas que ainda não sabemos fazer. Colocamos de lado e ofuscamos o nosso brilho interior, nossos talentos.
Acabamos por fazer escolhas erradas que não são condizentes com o que realmente podemos fazer. Deixamos de acreditar em nós mesmos, em nossa capacidade como co-criadores, nossa potencialidade. Ficamos presos as imperfeições e praticamos a autossabotagem.

Pensar que ninguém nos ama, por exemplo, coloca toda nossa atenção e energia, apenas nos relacionamentos difíceis que ainda não se fundamentam no amor. Desperdiçamos o lado bom das pessoas, dos acontecimentos e desvalorizamos qualquer forma de amor que nos é endereçada, pelo simples fato de não a notarmos e até deturparmos o seu sentido.
Dar atenção às negatividades faz com que nossa mente se volte apenas para elas, sem perceber o que há de positivo. Então nos sentimos atraídos por essas negatividades. É a lei da causa e efeito.

O excesso de elogios e positivismo também podem ser prejudiciais, porque nos colocamos acima de qualquer suspeita. Cremos na ideia de que fazemos tudo certo, estacionamos no topo do orgulho.

Podemos também responsabilizar o outro pelo que passamos, acreditando que estamos certos em nossas atitudes e atraindo culpados por nossa vida infeliz.

Nossas energias se perdem numa nuvem densa que envolve a aura, constituída por essas formas-pensamento , emoções negativas e miasmas que aderem a ela.

No mundo dual, vivenciamos os dois lados, porém nossa mente, conforme o que alimentamos como crença, irá focar apenas em um lado com mais força.Concentrar-se somente em uma das partes, mesmo que seja somente no lado bom e positivo, é caminhar como um aleijado. Todo extremo impede que a consciência seja plena.

Por isso, Buda nos ensina o caminho do meio. Assumindo a dualidade temos uma visão mais ampla que acolhe tanto nossas deficiências quanto nossos talentos.
O crescimento espiritual ocorre gradativamente, recebemos as respostas de Deus na vida diária. Traduzidas através das adversidades no âmbito familiar, social, profissional, amoroso, que representam nossas relações com o outro e por meio das doenças. Aprendemos também através do amor, dos momentos de saúde, prazer e felicidade.

Recebemos o amor que é emanado do Alto incessantemente, fonte eterna a qual devemos nos unir. Pela gratidão nos ancoramos ao amor incondicional e somos envolvidos por paz interior.

Gratidão é o reconhecimento desse processo de aprendizado. Compreender que as pessoas e situações que surgem em nossa vida são bênçãos para evoluirmos e nos tornarmos plenos.
Pedimos a Deus a nossa felicidade, a nossa plenitude e recebemos o mapa para trilharmos em direção a realização do nosso objetivo. Pedimos em nossas orações que nos ajude e nos liberte da dor e do sofrimento, que torne o planeta menos violento, que cuide de cada um de nós. E a Providência Divina não falha. Ela é caridosa e nos responde diariamente.

Gratidão é acolhimento e conexão com o outro, com o Todo.
Cada momento que recebemos como experiência em nossa vida, é uma resposta aos nossos atos, pensamentos e sentimentos. Então, escolher a gratidão como sentimento fará com que nossos pensamentos e nossas atitudes estejam ancorados nessa energia.

As crenças são pensamentos que acolhemos e fortalecemos , apropriando-nos deles como parte de nós. Rotulamos o nosso ser e o mundo, criando em nossos corpos físico, vital, emocional e mental, a aura que reflete essa identidade que assumimos.

Quando sentimos gratidão rompemos com o passado porque não há mais ressentimentos, mágoas, remorso, melancolia ou culpa. Rompemos também com o futuro, porque não há com que se preocupar, ter medo ou querer controlar o futuro. Entregues à vida, ao aqui e agora.

O estado de “presença” é gratidão. Estar consciente do momento presente. Você olha para cada detalhe a sua frente e não julga. Não há nenhuma crença, certo ou errado. Há o acolhimento e a confiança que transmuta e expande a consciência.

A expansão da consciência surge quando conseguimos ultrapassar as barreiras do pensamento repetitivo, do automatismo das velhas interpretações sobre nós mesmos.
Eliminar pensamentos é libertador e não reprogramá-los, porque a reprogramação significa mudar de trilha dentro do mesmo território mental inferior.

A mente inferior é um labirinto por onde o ego se movimenta sem encontrar a saída. Diminua o seu fluxo de pensamentos e aumente sua conexão com o coração.

Relaxe, inspire profundamente, abra seus braços e mãos como que se entregando ao mundo! Expanda sua região peitoral e sinta seu coração abraçando o universo. Una-se e agradeça por cada momento de presença.

Gratidão é um estado de espírito que se traduz em práticas para a vida plena.
Vivencie:

SIMPLICIDADE: Viva com simplicidade sem acumular e se apegar. Sinta-se à vontade para ser quem você é. As únicas riquezas que preservaremos são as da alma. Assuma sua dualidade e se conecte com a natureza, observando que tudo acontece conforme as leis que a regem. Saia da ilusão que as complicações egoicas impõem.

HUMILDADE: Deixe o orgulho de lado e reveja se há em seu coração algum ressentimento ou culpa, dissolva- os pela gratidão. Se é algo que sente por outra pessoa, aproveite a oportunidade e ligue para ela, mande uma mensagem, peça desculpas se for necessário, mas, principalmente agradeça por ela ter sido o canal que foi enviado para lhe ensinar abrir mão de seu ego orgulhoso.

CARIDADE: Faça algo pelo outro como demonstração de gratidão que tem pela vida. Nada demais, que possa estar camuflado pelo ego, que gosta de aparecer. Doe com amor uma palavra de amparo, um gesto de carinho ou vibre sinceramente pela saúde e felicidade, principalmente, daquele ser que se encontra nas trevas da violência, ganância e ignorância.

FÉ: A fé deve ser entendida como um sentimento de entrega. Confiar que nada é acaso ou em vão. Compreender com o coração que o milagre está presente em nossa vida. Em cada amanhecer, na natureza, no outro que cruza o nosso caminho, nas adversidades e nos momentos recheados de carinho, amor, amizade e muito prazer! Fé na vida e na morte que é o nosso retorno ao lar espiritual.



Seja Amor!

Nenhum comentário:

Postar um comentário