Vampirismo Sexual


A sexualidade é um tema amplo e, ao incluirmos as implicações energéticas, desvendamos a importância que a vida sexual tem para a saúde espiritual, mental e física. A energia sexual é essencial no desenvolvimento das relações com o meio externo, proporcionando prazer e envolvimento, criatividade e motivação.
Como está sua vida sexual e sua relação com seu parceiro?


Desde que Adão e Eva foram expulsos do paraíso, a sexualidade se tornou um tabu: culpa e preconceito que acompanham o inconsciente coletivo e são ensinados de pais para filhos, perpetuando velhos padrões culturais.
Esconder o corpo, sentir vergonha, não assumir a sexualidade de forma natural, exacerbar a sensualidade desprovida de sentimentos sublimados, desconectando a sexualidade do Divino.

Que Deus seria este, que capacita a humanidade de poder cocriador, por meio da união sexual e, ao mesmo tempo, culpa o prazer que o ato promove? A sexualidade é sagrada e quando você se relaciona com alguém, você abre as portas do seu espaço energético sagrado para compartilhá-lo. 
Porém, se a relação sexual é movida apenas pela sensualidade e instintos inferiores, ela deixa de realizar seu papel de levar ao encontro com o outro e a união com o Todo. 

Daí surgem os desequilíbrios e enfermidades.
O vampirismo sexual ocorre tanto na vida terrena quanto na vida espiritual, pela viciação às sensações do sexo, como uma forma de prazer egoísta.
Quantos casos de violência entre casais são frutos da deturpação e abuso da sexualidade que animalizada é movida pelas reações mais grotescas?

Nos relacionamentos, o vampirismo sexual é bem mais comum do que parece. Entre os casais, quando há manipulação e abuso emocional, o vampiro pode ser apenas um entre os dois, capaz de sugar a energia do parceiro, ou os dois, de forma recíproca, que se esgotam na relação. São relacionamentos com grande dependência emocional.


A pessoa se torna fraca energeticamente e submissa às forças do vampirismo. Entregue ao sugador que a envolve como um hipnotizador. Porém, não devemos esquecer de que a causa é sempre energética e advinda do estado espiritual em que os parceiros se encontram.

O que torna uma pessoa um vampiro e a outra uma vítima? Cada uma representa seu papel no drama do vampirismo sexual.
Estimulados pelas sensações, na busca de prazer, deixam que predominem na relação seus instintos inferiores, frutos do condicionamento que o espírito traz de outras vidas e do aprendizado psicológico e emocional da vida atual.

Exatamente como vemos nos filmes vampirescos, o vampiro morde sua vítima que é sugada e também se torna um vampiro.

Na vida astral, na dinâmica que envolve os sonhos eróticos e a repressão sexual, o vampirismo entre os espíritos encarnados e desencarnados surge veladamente. Durante o sono, libertam-se dos porões do inconsciente os desejos escondidos e, neste momento, os espíritos apegados e viciados ao prazer do sexo, aproveitam para assediar suas vítimas e agir.

O vampirismo sexual entre encarnados e desencarnados é frequente e muita gente o confunde com um simples “sonho”. É um tipo de obsessão que pode reduzir o obsediado à inutilidade. Desarmonizando sua vida psíquica e seu sistema nervoso. 


A sexualidade doentia e viciada mostra-se no mundo espiritual na forma de figuras animalizadas e bizarras.
A energia sexual quando mal utilizada leva à demência e às psicopatologias mais severas e provoca no perispírito sua deformação. Para manter sua dependência às sensações, os espíritos desencarnados vampirizam os encarnados, que se afeiçoam a eles por carência afetiva, por seus desregramentos na vida cotidiana, social, afetiva e por sintonia vibratória.

“São muitos os casos de sexualidade mórbida, exasperada pela atividade dos vampiros. Esta denominação é dada aos espíritos inferiores que se deixaram arrastar nos delírios da sensualidade e continuam nessa situação após a morte”. (Mediunidade - Vida e Comunicação de Herculano Pires).

Perceba a complexidade que há nos relacionamentos quando analisados pelo prisma tranpessoal. Os desvios da sexualidade são sempre delineados por falta de contato e amadurecimento sexual saudável ou da atitude egocêntrica e isenta de sentimentos mais elevados. Viciando o ser às sensações corporais, sem nenhum compromisso com o parceiro, tornando-o rude e grosseiro. 


Como reminiscência de vidas passadas, os espíritos reencarnam com desequilíbrios energéticos provenientes do mal uso da energia sexual. Espíritos manipuladores que, com facilidade, usaram seu magnetismo sexual e seu poder de sedução para atrair suas vítimas, através do dom da palavra e de outros recursos, com finalidades egoístas.

O hiperfuncionamento do chacra correspondente à sexualidade esgota e debilita os outros chacras, comprometendo o fluxo e a saúde energética. O excessivo apego ao contato sexual de forma desvirtuada ou pervertida passa a ser a única expressão para o espírito, que não reconhece outra maneira de se manifestar e compartilhar com seu semelhante.

Na repressão sexual, há a negação dos desejos, que passam a se manifestar durante o período do sono, aproximando espíritos afins. O vampirismo, neste caso, é uma vivência sexual no plano astral, entre os dois mundos.

Os desejos que temos na vida terrena continuam a nos acompanhar na vida espiritual. Seja no mundo terreno ou astral, o abuso das energias sexuais, provocam o desgaste energético rompendo a proteção natural do chacra sexual, que abre caminho aos desequilíbrios psicológicos, podendo levar à loucura.

No chacra Swadhistana, localizado no baixo ventre, flui a energia sexual que se converte em expressão no quinto chacra Vishudha. Há uma ponte energética entre os dois. Por isso, muitos transtornos da mente e o egocentrismo exacerbado têm raízes nos desequilíbrios sexuais. 


Alguém que age com violência por “paixão”, motivado por uma discussão ou o fim da relação está, na realidade, sendo impulsionado por sérios desequilíbrios psicológicos resultantes da interrelação da sexualidade com o plano mental.

No curso das reencarnações, muitos espíritos ficam presos às sensações da matéria, associando-se a grupos que desejam tanto quanto ele sentir o prazer material. Colocam-se, então, a assediar os reencarnados em busca da satisfação de seu vício.

No chacra Swadhistana, a obsessão é como uma infecção por vírus ou bactérias. Fica infestado por miasmas. Várias enfermidades sexuais são decorrentes da condição energética deste chacra. A energia sexual saudável traz vitalidade e movimenta a força cocriadora para a vida. 


As pessoas criativas, empreendedoras, devotadas à arte e carismáticas têm normalmente uma grande energia sexual que lhes confere a capacidade de realização. A sexualidade tem dois caminhos pelos quais o espírito tem o Livre-Arbítrio de se enveredar e por meio dos quais se vincula com seu semelhante.

Nas relações harmoniosas, o espírito conduz sua energia sexual com naturalidade, como forma de expressão de seu contentamento e amor pela vida, pelas pessoas e principalmente por seu companheiro. Todas suas ações são voltadas para uma união com o próximo a partir de um sentimento sincero de compartilhar. Um senso amoroso que guia a relação além das fronteiras do ego.

Movida pelo egoísmo, a sexualidade é apenas a satisfação de um desejo, uma sensação fugaz em que não existe uma troca energética amorosa. Toda energia é estritamente sensual, animalizada e um tanto brutal. 

Vista como pecado original, a sexualidade foi encarcerada pela culpa e vigiada pelo ego, deixando de ocupar sua função natural. Virou um monstro muito feio, que deve ficar escondido. Sua força cocriadora é essencial à realização material. 

O chacra Swadhistana é responsável pelo poder da atração e sedução.
A criatividade e as relações dependem de seu funcionamento adequado e saudável. O vampirismo sexual acontece pela ligação fluídica por meio deste chacra, que é sugado pelo vampiro, não somente durante a relação sexual, mas enquanto perdurar a dependência e sintonia mútua entre obsessor e obsediado.

Como evitar o Vampirismo Sexual?
Para manter o equilíbrio de sua energia sexual, evitando o vampirismo, traga sua sensibilidade e sensualidade à tona, por meio da criatividade e dos relacionamentos saudáveis. Não negue seus desejos, assuma seu papel na vida como agente de transformação e sua sexualidade como uma fonte de criação, prazer e realização.


“O vampirismo cessa no momento em que o obsediado se dispõe a reintegrar-se em si mesmo, na posse de sua personalidade, não aceitando sugestões e infiltrações de vontade estranha em sua vontade pessoal e soberana”. (Herculano Pires)

Exercício para Limpar e Harmonizar o Chacra Sexual:
Visualize a energia da luz laranja se expandindo de seu chacra sexual Swadhistana na região do baixo ventre, envolvendo a pelve, rins, bexiga, glândulas sexuais.
A energia laranja é quente e dissolve miasmas, cistos e estagnações.
Fique por alguns minutos visualizando e levando a energia laranja para seu chacra.
Namastê!

Para saber mais sobre transpessoal e Nadya Prado acesse: http://www.psicologiaespiritualista.blogspot.com.br
Curta a página oficial de Nadya Prado no facebook: http://www.facebook.com/nadya.r.s.prado
Para atendimento particular informações por e-mail:nadyaprado@uol.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário