Transtorno Bipolar X Influências Espirituais



É comum encontrarmos em nosso circulo social, entre amigos e familiares, pessoas diagnosticadas com Transtorno Bipolar. E quem sabe, você também já faça parte desse grupo?

A “doença” recebeu esse nome em 1980, como substituto do nome psicose maníaco-depressiva, que era considerado pesado demais para definir um desequilíbrio que não é tão terrível assim e que, com um novo rótulo, popularizou-se.

A psiquiatria o considera um transtorno de humor , que oscila entre a euforia e a depressão. Humor excessivamente animado, exaltado, eufórico, alegria exagerada, extrema irritabilidade, impaciência e inquietação, entre outros sintomas; alternados com sentimentos de melancolia, depressão, vazio, tristeza...
A pessoa apresenta modificações na forma de pensar, agir e sentir.

O transtorno está associado a áreas fundamentais para o processamento das emoções no cérebro. Mas, o que leva alguém a se desestruturar psicologicamente e agir de forma extremista,  mudando de humor constantemente e repentinamente?

A falta de resiliência, que é nossa capacidade de flexibilizar e lidar com os problemas, é um fator importante. A irritação que vem fácil ou a euforia, são causadas por certa dificuldade de adaptação às situações diversas, com tendência  ao descontrole das emoções.

A resposta emocional exagerada aos estímulos do ambiente gera os extremos. Há vulnerabilidade mental e emocional. As pessoas que sofrem do transtorno bipolar apresentam personalidade facilmente influenciável.
Este ingrediente as tornam mais permeáveis e reativas.

O corpo físico e sua neurofisiologia são o resultado da ação de uma energia contida no campo sutil que se manifesta no plano terreno. Este é o paradigma transpessoal, no qual estão incluídos os aspectos energéticos e espirituais, dos corpos abstratos mental e emocional.
Assim como um computador, uma máquina sem vida, é um hardware que depende dos softwares e das mãos humanas que o utilizam. O corpo físico é uma máquina que necessita do sopro do espírito para se manifestar.

A química corporal depende do espírito, que é o alquimista.

Somos, sim, responsáveis por nosso estado de espírito e humores! Somos espíritos atuando na matéria. E com exceção daqueles que já nascem com anomalias genéticas, como na Síndrome de Down, a ciência não tem condições, ainda, de esclarecer  qualquer transtorno psicológico, como essencialmente um problema de anatomia cerebral.

A fisiologia alterada é uma sintomatologia e não a causa de um distúrbio mental. Quando compreendemos, além da limitada ciência mecanicista materialista, podemos notar a interferência do espírito, de sua energia e sintonia vibratória em seus desequilíbrios psicológicos.

A deficiência na produção e liberação de alguns hormônios que causam a sensação de prazer e bem-estar, depende de fatores ambientais, alimentares e outros exógenos. Mas, fundamentalmente, é consequência do microcosmo interior do ser e de fatores endógenos que incluem a condição espiritual de cada um de nós.

E como espíritos, potencializamos as nossas instabilidades típicas, devido as influências que sofremos de nossa interação constante com outros espíritos e energias, visto que somos seres de energia. Estamos todos nos relacionando, tanto na esfera terrena quanto nos planos sutis, em sintonia energética. Estamos todos conectados e existe apenas uma ilusão de separatividade.

Podemos assumir várias "caras", temos vários "eus" dentro de nós e cada um deles exerce sua influência em nosso comportamento. A bipolaridade demonstra a dualidade em que nos manifestamos, entre a ansiedade e a depressão, entre o eu desperto e o eu egoísta. Precisamos encontrar o caminho do meio. Conhecer um pouco mais de nós mesmos e de nossas instabilidades, geradas pelos  "eus" que nos habitam, em diversas nuances. E nos associamos aqueles tantos eus que se assemelham conosco no macrocosmo energético.

Em alguns momentos perdemos o foco, enfraquecemos e nos tornamos joguetes das energias circundantes, provenientes de outros espíritos encarnados e desencarnados.

Ficamos abertos às interferências espirituais, dentro de um oceano energético, que nos alcança e nos atinge, em consequência de nossa vulnerabilidade. Em sintonia com outros espíritos,  somos impulsionados a agir desequilibradamente. Submissos a força que nos induz ao desregramento nas atitudes excêntricas e extremas.

A obsessão espiritual é o termo utilizado no espiritismo para caracterizar a aproximação  e influência negativa e obsessiva que outro espírito pode exercer sobre o encarnado. Ela pode acontecer em vários graus e no transtorno bipolar, causa a impressão que o individuo está desorganizado mentalmente, o que não deixa de ser verdade. Suas emoções são desequilibradas e desconexas.

Perde-se o domínio de si mesmo, passando a agir submetido aos delírios de seus obsessores, que são espíritos doentes, encontrando brechas energéticas e  afinidades vibratórias com o obsediado, com seus pensamentos e sentimentos.

A medicação faz o papel de atenuar os sintomas, mas não resolve em definitivo a questão, porque a causa continua. A responsabilidade da cura está na autoconsciência, no aprendizado sobre si mesmo e na mudança vibracional.

O tratamento requer o acesso ao campo mental e emocional , na abstração das ideias que originam o transtorno de bipolaridade, em que se possa compreender e não mais reprimir a dualidade, que assumida nos torna Um. Como seres integrais, temos que aceitar as forças opostas que nos constituem.

Vivemos a dualidade em todas as circunstâncias e o transtorno bipolar é um exemplo do impasse que carregamos. Buscar o caminho do meio como Buda nos ensinou. Compreender o sofrimento procurando eliminar suas causas, pensando, falando e agindo corretamente. Esforçando-se, estando atento e concentrado.

A Psicoterapia Transpessoal  traz os instrumentos que conduzem o ser a reencontrar sua Alma e sua plenitudde.
Tomar posse de si mesmo é o caminho.
Namastê

ORIENTAÇÃO E TERAPIA TRANSPESSOAL COM
NADYA PRADO 
Informações, valores e agendamento envie e-mail para nadyaprado@uol.com.br

Praticando a Gratidão



Como é bom se sentir grato! É um sentimento que dissolve os miasmas, as formas-pensamento, desfaz os nós , melhora o fluxo respiratório, faz o coração bater numa cadência suave. A leveza que o sentimento de gratidão oferece é incomparável. Faz fluir em nosso ser o amor incondicional por tudo, por todas as criações Divinas.
A gratidão nos faz entrar em contato com o milagre da vida e torna claro o porquê de estarmos aqui e agora. Passamos a compreender os sofrimentos como bênçãos que nos impulsionam ao crescimento espiritual.
Apoiados pela lei da causa e efeito, entendemos que o sofrimento, a doença e a dor, são respostas da vida para as nossas questões mal resolvidas.
Sim, é como se perguntássemos a Deus: O que fazer para ser feliz? Como resolver este vazio existencial? Como aprender a me amar e me relacionar com o próximo?
Recebemos na experiência diária todas as respostas para as nossas “pendências” com o compromisso espiritual de sermos plenos.
Gratidão é aceitação e despertar da consciência.


DEPENDÊNCIA QUÍMICA OU EMOCIONAL?

Resultado de imagem para dependente quimico
O uso e o abuso de substâncias químicas psicoativas provocam a dependência física e emocional. As drogas que inicialmente trazem uma ilusão de prazer, aos poucos, passam a controlar o sistema nervoso central, que induz o indivíduo a compulsão.

Devemos incluir na lista das drogas, os antidepressivos e ansiolíticos que consumidos sem rígido controle, trazem a dependência.


Reencarnação e Vidas Passadas



Filosofias e religiões do oriente e do ocidente admitem as reencarnações.

Como espíritos, manifestamo-nos em ciclos de morte e renascimento. 

A doutrina espírita, por obra  de Alan kardec, trouxe no século XIX ao ocidente, a "boa nova" sobre a espiritualidade e o mundo dos espíritos.


O catolicismo em seu passado admitiu a reencarnação. Porém, em meados do século VI, Teodora, esposa do imperador bizantino Justiniano, forçou o papa Virgilio a substituir o conceito reencarnacionista pela ressurreição. Ela tinha medo de reencarnar como escrava negra, afinal era escravocrata.

No oriente, a roda das encarnações é conhecida como Roda do Samsara. Estamos sujeitos ao ciclo de morte e renascimento até que possamos atingir a iluminação. 

Reencarnar é voltar à carne, ao mundo físico. Uma encarnação está atrelada a outra pela lei de causa e efeito do karma.  Criamos karma a todo momento, a cada atitude geramos um movimento que pode ter efeito positivo ou não. Atiramos a flecha e não há mais volta. 

Portanto, o karma pode beneficiar ou prejudicar a nós mesmos, ao outro e ao meio ambiente.
Aquela pessoa que jogou uma bituca de cigarro acesa na mata e provocou um incêndio, certamente criou um karma negativo. De alguma forma ela estará sujeita a lei natural que lhe trará a oportunidade de resgatar o malfeito.

Não existem culpados, somos, sim, responsáveis pelo que plantamos. Como diz o ditado: Quem planta vento colhe tempestade.

Desta forma, fica mais claro compreendermos as adversidades atuais. Quantos problemas que passamos pela vida sem uma causa definida, pelo menos, que sejamos conscientes dela?
Quando averiguamos a relação da vida atual com as vidas passadas, podemos concluir que nada é acaso, há discernimento e harmonia no universo. Racionalmente, chegamos ao consenso que a reencarnação explica uma série de ocorrências que ficariam à deriva na visão materialista.

É necessária uma dose de consciência para atestarmos a realidade espiritual. Quando o espiritismo nos fala sobre a fé raciocinada, ele nos coloca de frente ao questionamento:

-Quem somos e o que estamos fazendo aqui?

Admitir a reencarnação nos dá base para preenchermos todas as lacunas que a ciência atual ainda não conseguiu. No entanto, de forma alguma, devemos cultuar a crença que nascemos para sofrer. Muito ao contrário disso, estamos aqui para aprender a deixar o sofrimento.


Todo sofrimento é fruto da falta de compreensão da impermanência da vida terrena e da eternidade espiritual. Este apego exagerado as limitações da vida física, a falta de conexão com a essência espiritual e o entendimento que somos todos Um.


Aquiete-se e se conecte ao Criador. Você poderá perceber a vida além da vida...

Muitas pessoas se sentem vazias de significado. A vida restrita à matéria não proporciona plenitude. Sinta a espiritualidade que o torna um ser.

Você não nasce numa família por acaso, não encontra desafios por coincidência e não está sob o jugo da má sorte. As vidas passadas norteiam a vida atual. Tudo o que criamos de karma, serve-nos hoje em nossa vida. 


A família a qual pertencemos hoje é constituída por espíritos com os quais temos algum laço, seja de amor ou de ódio. Normalmente, as aflições familiares, os desentendimentos e tantas outras adversidades no campo da "pequena família", são as lições que nos farão galgar mais um degrau em nossa evolução.


É muito bom sair e tomar uma cervejinha ou um café com aquele amigo para relaxar. É ótimo ter momentos de lazer  e descontração. Mas , no convívio familiar, nem sempre as coisas vão tão bem... É preciso paciência e vontade para que na intimidade do lar, saibamos agir em prol do fortalecimento das relações pelo amor incondicional. 

Quando passamos a inserir as vidas passadas ao contexto das relações familiares, amorosas e profissionais, fica muito mais fácil e mais leve para o nosso espírito enfrentar os problemas que surgem.

Precisamos estar atentos ao que criamos hoje. A cada pensamento e sentimento que plasmamos na aura. Atenção às nossas atitudes diárias, para que nosso karma se faça em comunhão com o Divino. Confiando mais na vida e no trabalho de transformação interior realizado na prática diária.

Compreender a reencarnação e as vidas passadas nos traz alento aos sofrimentos atuais e nos encoraja para mudanças.

A TVP – Terapia de Vidas Passadas pode ser útil, por exemplo, em alguns casos, na obtenção do afloramento de uma memória que esteja armazenada no corpo emocional e influenciando negativamente na vida atual. Alguém que morreu por asfixia, se muito preso à matéria, na época do ocorrido, poderá trazer hoje a sensação da falta de ar, em determinadas situações. Há uma fixação cristalizada no corpo sutil que interfere no corpo físico.

Entretanto, não há necessidade de corrermos atrás de nosso passado por curiosidade. O véu que nos distancia do vislumbrar dos acontecimentos de outrora é uma bênção.
Pense em como se sentiria em descobrir que em outra vida seu marido foi seu inimigo mortal, ou que um irmão de sangue era em outra encarnação seu algoz?Ao mesmo tempo, isso poderia explicar a sua antipatia natural por esse espírito...Tudo dependerá de sua aceitação e compreensão.



Mesmo em acontecimentos desta vida, quando não nos são agradáveis, desejamos que caiam no esquecimento. Por isso, às vezes é melhor esquecermos...

Algumas pessoas se ressentem quando descobrem particularidades de vidas passadas.


Apenas para citar um caso, tive um cliente que muito desagradou à ideia de que sua filha era um espírito que pertenceu a uma falange das trevas e que em outras vidas eram unidos pela sintonia pesada que vibravam.  Tanto que chegou a um ponto em que desistiu da terapia.


Sentiu-se ultrajado, humilhado e por pertencer no passado a uma falange trevosa, sofria o assédio, quase que diário, desses espíritos, inclusive de sua filha, quando adormecia...

Teve uma noite em que recebi a visita de um deles me pressionando a não continuar o tratamento...
Enfim, veja o quanto é implacável a lei do karma e das reencarnações.
Para nos libertarmos das negatividades, resgates do passado e da vida atual, temos que inevitavelmente nos conectarmos à Luz que emana do Criador. Aprendermos o amor incondicional que dissolve qualquer laço de ódio que possa nos manter presos ao passado

Perceba em suas relações difíceis, a lei do karma agindo a seu favor. Dando-lhe a oportunidade de transformar a sombra em luz.
O amor incondicional, a compaixão, são fogo divino que dissipam e transmutam o mau em bem, fazendo a Fênix renascer das cinzas.

Seja Amor!


Para Orientação e Terapia envie e-mail para nadyaprado@uol.com.br

Perturbações do sono? Conheça as causas espirituais


É muito ruim ficar rolando de um lado para o outro na cama, sem conseguir pegar no sono. Olhar no relógio e ver o tempo passar, a madrugada chegar e, quando o cansaço toma conta, já é hora de acordar. Ter pesadelos recorrentes e mal-estar geral no momento de dormir...

Ter um sono tranquilo depende de uma série de fatores. Cuidados com o corpo, com a mente e com o espírito, possibilitam uma boa noite de sono. Dicas de como mudar hábitos alimentares e rotina diária podem ajudar a regularizá-lo e são medidas essenciais que refletem na saúde como um todo.
Algumas causas conhecidas que provocam o desequilíbrio do sono são: apneia, depressão, ansiedade, estresse, ambiente com muito barulho, luz excessiva, cafeína, álcool e outras drogas.

A insônia se caracteriza por dificuldade de iniciar e manter o sono durante a noite ou o despertar antes do horário desejado, podendo se tornar crônica e debilitante para quem sofre do transtorno. Provoca alterações do humor, de memória, dificulta o aprendizado, raciocínio e pensamento, prejudicando também a saúde física.

No âmbito da dimensão física, buscar a alimentação saudável, as atividades físicas, o contato com a natureza e os momentos de lazer, são recomendações pertinentes para ajudar trazer o sono tranquilo.

No plano mental, é preciso diminuir os níveis de estresse e o excesso de estímulos. A prática meditativa é um aliado eficaz contra a insônia causada por condicionamentos mentais. Reconhecer pensamentos e sentimentos que possam estar alterando o ritmo normal do sono, criando conflitos e distúrbios.
Porém, além das causas acima, o sono depende de fatores energéticos e espirituais.
Algumas pessoas se deitam e o sono não vem, sem nenhuma explicação... Existe um impedimento, uma interferência energética.

A glândula pineal ou epífise é responsável, entre outras coisas, pela produção de melatonina, hormônio que regula o ciclo do sono. Sua produção ocorre e se acelera com a falta de luminosidade. No processo de interferências espirituais e energéticas, a glândula é afetada, porque é por ela que se recebe os estímulos astrais. Constituída por cristais de apatita, funciona como uma antena que capta as sensações sutis.

Na esfera espiritual, a glândula pineal é considerada o centro de comunicação mediúnico.

Existem vários estudos e pesquisas científicas sobre a pineal. Podemos citar, entre tantos, o Dr. Sergio Felipe de Oliveira que acredita na conexão direta entre a glândula e as dimensões sutis.

No caso da perturbação do sono, proveniente da dinâmica entre a pineal e a dimensão espiritual, podemos dizer que, quando há uma influência de um espírito, a produção de melatonina é alterada. Sua fisiologia e parafisiologia se desequilibram devido a aproximação. Se há uma obsessão, o médium sofrerá uma série de distúrbios.

Pode sentir mais sono em momentos impróprios e durante à noite, ficar extremamente excitado por estímulos energéticos advindos da esfera sutil.

Quem não sentiu alguma vez, um medo terrível ao deitar para dormir?
Angústia sem explicação, tremores, calafrio... Uma sensação de estar quase dormindo e, de repente, um movimento brusco e involuntário do corpo rouba-lhe o sono e os olhos arregalam.

Barulhos estranhos, pesadelos que fazem acordar...
Além disso, quando dorme, acorda no outro dia com um extremo cansaço, sem energia... Esses sintomas se relacionam às interferências do plano astral, como presenças espirituais, desequilíbrios mediúnicos e, inclusive, reminiscências de vidas passadas.

Quando nos deitamos para dormir, inicia-se o processo natural de afrouxamento das sensações físicas e a ampliação dos sentidos sutis. Nosso espírito acorda e nosso corpo dorme.

O médium de desdobramento tem facilidade para se afastar do corpo físico, na interação com o plano espiritual. Os estados alterados de consciência, em algumas pessoas, ocorrem sem domínio do fenômeno e por falta de conhecimento, ficam amedrontadas e cada vez mais sensíveis.

Nos desequilíbrios como insônia, entre o estado de vigília e de sono, há uma perturbação, que impede o fluxo natural desse processo. Apesar do cansaço físico, nota-se um alto grau de ansiedade, irritabilidade e sintomas físicos incômodos. Por meio do sexto sentido, pode-se sentir a aproximação de forças energéticas sutis.

O campo áurico, alimentado por pensamentos, sentimentos e emoções, possui um padrão vibratório que reflete o estado espiritual do ser. Quando carregado de negatividades também produz sensações desagradáveis e alteração do metabolismo da pineal e de todo sistema endócrino. Envolvido em sua densa aura, o indivíduo sente dificuldade para se desdobrar do corpo físico de forma harmônica.
Atraindo as energias que se sintonizam a ele, sofrerá de obsessões causadas por sofredores que sintam afinidade por esse campo energético, ou por espíritos que vampirizam suas energias originadas dos vícios que sustenta em sua vida diária.
Traumas e distúrbios acometidos nesta e em outras vidas também podem causar problemas na hora de dormir.
Por isto, os desequilíbrios do sono devem ser observados e tratados de forma integral. A psicoterapia transpessoal é uma ótima aliada, porque traz uma visão ampliada e técnicas que tratam todos os níveis do transtorno: físico, energético, emocional, mental e espiritual.

Chega de sentir o mundo astral e não saber como lidar com o desconhecido, ser prejudicado por influências negativas de espíritos sofredores, sem ter a chance de se defender, por não saber o que fazer...
O corpo vital ou etérico, é um corpo sutil, molde do corpo físico e está intimamente relacionado a todos os sintomas mencionados. Por meio da aura e dos chacras, recebemos as impressões do plano astral. Os distúrbios nesse sistema psicoenergético resultam em desequilíbrios de toda espécie e aqui mais particularmente, no metabolismo e a qualidade do sono.

Se você está sofrendo deste mal, sua qualidade de vida deve estar bastante prejudicada. O sono tranquilo é essencial para renovar as energias do corpo, da mente e do espírito. Psicoogicamente o sono é uma válvula de escape para descarte do excesso mental  e para as repressões se manifestarem. Na dimensão espiritual, durante o sono, o espírito pode transitar livremente sem os impedimentos do corpo físico, trabalhar, estudar ou apenas ir ao encontro de lugares e pessoas afins. O espírito necessita desta liberdade parcial para sorver as energias espirituais que nutrem e o mantém saudável.

Seja Amor!



Para informações sobre valores e agendar consulta envie e-mail para: nadyaprado@uol.com.br

Para acompanhar e saber mais sobre Terapia Transpessoal e Naturopatia com Nadya Prado acesse e se cadastre em http://www.psicologiaespiritualista.blogspot.com.br
Curta minha página oficial no facebook http://www.facebook.com/nadya.r.s.prado
 


Wu Wei, uma prática poderosa de cura!


Pode ser que você já tenha tentado muitas técnicas para trazer saúde e prosperidade para sua vida, mas se ainda não conquistou os seus ideais e a plenitude que busca, significa que tem algo que falta para o seu entendimento e transformação.

Um dos conceitos mais antigos sobre cura e fundamental no Taoísmo é o princípio da não-ação, conhecido por Wu wei. Não significa que não devemos agir e sim que a ação não deve ter intenção. Quando estamos conectados com a consciência cósmica, deixamos o território do ego e de todas suas instabilidades emocionais e mentais. Colocamos o nosso ser em comunhão com o fluxo do Tao, possibilitando a cura de nossos desequilíbrios.

Tao significa caminho e define o Taoísmo, filosofia e religião oriental que teve como precursor Lao Tzu, mestre autor do livro Tao Te Ching, há mais de 300 anos a.C.

Não temos que chegar em algum lugar e sim devemos contemplar o caminho, com plena atenção. A contemplação é um estado de êxtase com as coisas do Céu e da Terra, numa entrega confiante ao fluxo da vida.

Sinta-se como um monge de pés descalços que pisa a terra crespa que os fere, calejando a cada passo. Respire profundamente a vida e deixe que ela adentre o seu ser. Perceba a paisagem como sendo parte dela, envolva-se com ela, seja como for. Este é o caminho do buscador do Tao e do curador.

Wu wei é o estado de meditação, de plena atenção, que permite a energia fluir como as águas do rio que desaguam no mar e se fundem a ele. Estado de presença no aqui e agora que dissolve o “eu” e seus desmedidos desejos e expectativas por resultados.

O primeiro erro de quem busca a cura, seja de alguém ou sua, é o desejo por se livrar da doença, do desequilíbrio, o quanto antes. Esta é uma postura de fuga que não permite o olhar atento para o problema e a compreensão do seu significado.

Quando me perguntam, o que deve ser feito para obter a cura, eu digo que nada deve ser feito... É o nada que cura, o vazio que permite o preenchimento.

Nenhum movimento que tire você de onde está agora. Você tem apenas que vivenciar tudo que está sentindo e deixar que o ciclo se complete.

Toda a ansiedade que o pensamento gera e sua expectativa não propiciam o ambiente ideal para a cura. Algo diferente precisa ser aprendido e isto só acontecerá se você for capaz de enfrentar a dor, não se defendendo dela, mas deixando que ela passe por você, até que finalmente ela se vá, assim que você assimila o aprendizado.

Quando iniciei meus estudos sobre a filosofia oriental e o Taoísmo, o Wu wei passou a ser a  base para que eu pudesse me tornar uma terapeuta. Eu não posso fazer nada por ninguém, mas quando estou em estado de presença e comunhão com o Tao, em estado de Wu wei me torno canal de cura.

Ter a intenção gera ansiedade, a intenção é o gatilho do estado de ansiedade em si. Sempre ouvimos dizer que devemos ter a “intenção de” para que algo se inicie em nossa vida, mas é exatamente por isto que temos tantos desejos não satisfeitos.

A falta de confiança de que tudo acontece como tem que ser faz com que você lute por algo e, então, você passa a viver a energia do esforço contínuo da dificuldade. O sofrimento, a dor, o desejo...

Se você pretende curar alguma coisa em sua vida ou ser um curador, um terapeuta, precisa deixar de querer, de desejar.

Certa vez, em meus sonhos, pude avistar uma lembrança que num instante fugaz me fez retornar a uma vida passada. Nela, eu era um menino acolhido por um mestre que me amparou e me ensinou tudo o que sei hoje. Foi apenas um pequeno segundo no tempo e um momento eterno para o meu espírito, em que me vi recebendo o carinho desse mestre, que com um cobertor me protegeu do frio da noite.
Jamais esquecerei do sentimento que me tomou naquele instante que se tornou o mais importante em meu caminhar.
O significado dessa passagem é de que estou sempre amparada nas noites frias da alma e que um instante presente é eterno e que toda visão temporal é limitada.

Lembre disto, você também, não somos diferentes em nossas possibilidades. Você não está desamparado, permita-se estar em conexão com o mestre que o acompanha, com a sabedoria que o guia pela vida.

Confie um pouco mais e compreenda o aqui e agora como um portal para a sua cura, siga pelo caminho do Wu Wei.

Namastê, seja amor!

Para saber mais acesse http://www.psicologiaespiritualista.blogspot.com.br

Inscreva-se no meu canal do youtube http://www.youtube.com/nadyaprem

facebook http://www.facebook.com/nadyapradonamaste