ORIENTAÇÃO TRANSPESSOAL ONLINE SKYPE

SÍNDROME DO PÂNICO - tratamento e cura

Sonhos Espirituais X Sonhos Mentais - A Vida Além do Corpo Físico


Existem muitas teorias sobre o sono e os sonhos. A humanidade sempre buscou a compreensão dos sonhos. Segundo Freud, eles são a via que leva ao conhecimento do inconsciente mental.

O sono é composto por fases, que se iniciam com o sono leve passando para o profundo;  necessários principalmente para o descanso e relaxamento do indivíduo, além de ativarem a secreção de hormônios importantes à manutenção da saúde.

A quinta fase do sono é chamada de sono REM, fase em que os especialistas afirmam ocorrer a maior parte dos sonhos.

Jung aponta os sonhos como forças naturais que ajudam o ser no processo de individuação, através de personagens arquetípicos.

Existem vários tipos de sonhos e interpretações.  Neste artigo os abordaremos no contexto transpessoal espiritualista.

Denominaremos de sonhos mentais todas as imagens, formas e ações investidas pela mente em conjunto com o espírito e sua capacidade de memorização. Quando dormimos, as produções mentais são plasmadas no ambiente energético que nos rodeia. Junto a elas também são acrescidas projeções de outras mentes as quais podemos captar.

Imagine o ambiente que nos cerca, no momento do sono, repleto dessas projeções, tão vivas que se confundem com a realidade das preocupações materiais.

Nesse campo energético estão presentes os miasmas e as formas-pensamento que se misturam ao nosso halo.

A mente acumula as impressões energéticas e também as impressões, conscientes ou não, dos acontecimentos da vida diária. No sonho mental elas compõem parte da historia que transcorre no momento do sono físico.

Muitos quando adormecem permanecem nesse ambiente de sensações energéticas, impossibilitados de alçarem voo às esferas mais sutis. Grande parte dos espíritos sai em busca dos ambientes astrais que sintoniza pela afinidade.

Adentramos então a dimensão dos sonhos espirituais, onde todos os espíritos encarnados e desencarnados tem lugar comum, a dimensão astral.

O espírito, enquanto o seu corpo físico se recompõe pelo sono, sai a perambular no ambiente astral. Chama-se o fenômeno de projeção astral.

Nessa dimensão os espíritos se encontram e convivem assim como na matéria. As criações mentais estão espalhadas no astral, assim como as criações da matéria estão espalhadas na dimensão física.

Podemos sentir e vivenciar nesse plano de acordo com nosso preparo espiritual e nossas preocupações diárias. Se estivermos muito conectados as sensações, seremos atraídos para vivenciar essas sensações inferiores na dimensão astral. Ao contrário, se estamos sintonizados com sentimentos de amor fraterno e com intenções superiores, seremos atraídos aos ambientes propícios ao nosso intimo.

Podemos sonhar apenas com imagens de pessoas queridas, encarnadas e desencarnadas, plasmadas pela mente, como também podemos encontrar verdadeiramente esses entes no plano astral.

 O sonho mental e o sonho espiritual se fundem no momento do sono e estão presentes desde sua primeira fase.

A partir do instante em que iniciamos o relaxamento dos cinco sentidos materiais, o sexto sentido é acionado mais intensamente e aumenta a nossa percepção das outras dimensões.

Nas práticas de relaxamento podemos identificar claramente as produções mentais quando realizamos visualizações. A sensação de bem estar que a visualização nos proporciona indica a capacidade que a mente tem de criar e plasmar.

Quando acordamos do sono físico pouco nos lembramos dos sonhos. Isso ocorre porque nesse momento, nossos cinco sentidos materiais tomam novamente a dianteira.

Algumas vezes, lembramo-nos de cenas que nos parecem desconexas e raramente trazemos para a vida física os encontros com espíritos mais elevados, que tem como característica uma energia tão suave e sutil, que não é compatível com a energia pesada do ambiente material. 

Entretanto, quando nos deparamos com espíritos sofredores durante o sono e com cenários carregados de dor e energias deletérias, acordamos cansados e muitas vezes nos lembramos desse infortúnio como pesadelos.

Para compreendermos melhor os sonhos e para avaliarmos as nossas condições energéticas, anotá-los em um caderno é um processo bastante importante e positivo. Possibilita o acesso mais profundo a nossa espiritualidade e a nossa mente. É uma ferramenta para o autoconhecimento que vai além dos sentidos materiais.

  

  

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Comentários